4shared

Autor: otavionunes

[DB2 LUW] Tópicos de Performance – Storage

Vamos iniciar um novo tópico na nossa área DB2 LUW. Começaremos alguns posts falando sobre Performance em um ambiente DB2 LUW. Inicialmente dedicaremos os posts para ambientes OLTP (Transacionais). SISTEMAS DE STORAGE Atualmente os tão conhecidos Sistemas de Storage (por exemplo: IBM System Storage® DS6800 e DS8300) oferecem muitas vantagens quando comparados a discos individuais (servidores onde os discos são adicionados conforme necessidade e sem acesso ao um Sistema de Storage). Primeiramente o “overhead” de administração de discos é reduzida, teremos melhor performance, esses sistemas oferecem um grande “storage server cache”, acesso “multipath”, backup, confiabilidade e disponibilidade assegurada e melhorada. Esses são alguns dos pontos importantes ao decidir entre alocação de discos individuais ou optar por um sistema de Storage. Sem considerar o recente sucesso dos discos SSDs (Solid-State Devices), discos magnéticos são ainda a regra em data centers. Devido uma diferença de processamento entre a velocidade de um processador e os discos, o que chamamos de contenção de I/O logo se torna um problema para o ambiente quando o mesmo não foi bem estruturado. Lembre-se que o planejamento inicial e estruturação do ambiente são pontos onde o DBA deve atuar e aconselhar. Como regra inicial e melhores práticas, para manter um banco de dados performando à um nível aceitável e diminuindo o gargalo de I/O devemos distribuir os dados do ambiente DB2 em vários discos. Com isso teremos...

Read More

[DB2 LUW] Tarefas de Manutenção – REORG, RUNSTATS, BIND/REBIND

Bem, dando continuidade a nossa série de posts para a certificação Associate do DB2 LUW, falaremos um pouco sobre Tarefas de Manutenção. Este conteúdo pode ser consultado também no e-book Getting Started with DB2 Express-C (possui versão em português), capítulo 12, inclusive possui ao final do capítulo exercícios de fixação. Este capítulo discute algumas das tarefas necessárias para uma boa manutenção do banco de dados. A direção geral no DB2 é automatizar a maioria dessas tarefas. Todas as edições do DB2 LUW, incluem recursos para automatizar as tarefas de manutenção. Esta capacidade de auto-gerenciamento é um enorme benefício para pequenas e médias empresas que não podem contratar um DBA em tempo integral para gerenciar o servidor de dados. Por outro lado, se for contratado um DBA, ele terá mais tempo livre para executar atividades avançadas que agregam valor aos resultados da empresa. REORG, RUNSTATS, BIND/REBIND Há três tarefas de manutenção principais no DB2 LUW, o REORG, o RUNSTATS e o BIND/REBIND. Utilitário REORG Com o tempo, ao executar operações INSERT, UPDATE e DELETE no banco de dados, os dados começam a ficar cada vez mais fragmentados nas páginas do banco de dados. O comando REORG recupera o espaço desperdiçado e reorganiza os dados para tornar a recuperação mais eficiente. As tabelas modificadas com frequência são as mais beneficiadas com o comando REORG. Você pode usar o REORG também em...

Read More

[DB2 LUW] DBA de Guerrilha – Restore Redirected: Utilizando Script de Automação

Dando continuidade ao nosso DBA de Guerrilha, hoje falaremos um pouco sobre uma tarefa que atualmente é ainda executada manualmente, mas que pode ser executada facilmente através da geração de um script e que pode te ajudar rapidamente em um operação de restauração da base de dados. Falaremos hoje sobre a operação de restauração chamada de Restore Redirected. Esta operação consiste em restaurar um base de dados em um outro servidor, ou em um outro ambiente ou até mesmo para atualização de bases de homologação. Acredito que a maioria dos DBAs DB2 já tenham se deparado com pedidos de atualização de bases de homologação, ou criação de um novo ambiente a partir da cópia de um ambiente já existente, pois bem, seus problemas acabaram. Vamos demonstrar em alguns passos como efetuar a criação do script e como proceder. Partindo do principio, faremos uma cópia de uma base de dados (Backup) para que possamos dar andamento ao nossos testes. Para tirarmos um backup offline (sem aplicações conectadas) ou cold backup devemos prosseguir com o seguinte comando: db2 "backup database SAMPLE" Após completarmos a operação de cópia da base de dados (Backup), vamos supor que nos foi pedido para seja feito no nosso ambiente de homologação uma atualização utilizando o Backup de produção que acabamos de tirar. Mãos a obra, vamos então gerar o nosso script que facilitará muito nossa vida....

Read More

[DB2 LUW] Utilitários de Movimentação de Dados

Bem, dando continuidade a nossa série de posts para a certificação Associate do DB2 LUW, falaremos um pouco sobre Utilitários de Movimentação de Dados. Este conteúdo pode ser consultado também no e-book Getting Started with DB2 Express-C (possui versão em português), capítulo 9, inclusive possui ao final do capítulo exercícios de fixação. As ferramentas ou comandos descritos neste post são usados para mover os dados dentro do mesmo banco de dados DB2, ou entre bancos de dados da mesma ou de diferentes plataformas. A figura abaixo fornece uma visão geral do processo de movimentação de dados para um ambinete DB2 LUW. Antes de falarmos dos utilitários de movimentação de dados gostaria de deixar abaixo a definição e utilização de cada tipo de arquivo que podemos utilizar neste processo.  ASC = ASCII DEL = ASCII delimitado WSF = formato de planilha IXF = Integrated Exchange Format Os arquivos ASC e DEL são arquivos de texto, e podem ser abertos e lidos em qualquer editor de texto. WSF é um formato que pode ser usado para movimentar dados para planilhas como o Excel ou o Calc (Open Office). IXF é um formato que não apenas inclui os dados, mas também a DDL (Linguagem de definição de dados) da tabela em questão. O formato IXF é conveniente porque, quando é necessário reconstruir a tabela, isso pode ser feito diretamente a partir de...

Read More

[DB2 LUW] DBA de Guerrilha – db2diag – ferramenta para navegar pelo db2diag.log

Galera, Dando continuidade a nossa série DBA de Guerrilha, hoje falaremos sobre a ferramenta db2diag, utilizada para navegar pelo seu arquivo de diagnóstico do DB2 LUW. Você sabe qual a utilização da ferramenta db2diag? A ferramenta db2diag é direcionada aos DBAs, Administradores do Sistema e também ao suporte IBM, facilitando assim a leitura e filtro do arquivo db2diag.log. E o db2diag.log? A principal função do db2diag.log é auxiliar na resolução de problemas, ou seja, todos os erros do sistema DB2 ou qualquer ação que leve a causar um erro é então registrada neste arquivo. Para configurarmos o db2diag.log temos que apenas trabalhar com 3 parâmentros a nível de instância, são eles: –> diagsize: esse parametro determina o tamanho do arquivo db2diag.log. Com um valor 0 (zero – default) nenhum tamanho é estipulado e ele irá crescer livre, leve e solto. Qualquer valor acima de zero, tornará o arquivo db2diag.log rotativo/circular (10 arquivos do db2diag.log – padrão e não tem alteração) e com tamanhos definidos. Por exemplo, se eu disser que quero atualizar este parâmetro com o valor de 100, então cada arquivo db2diag.log terá no máximo 90MB, pois 10MB é reservado para um outro arquivo chamado instance notification log (nomedainstance.nfy) que irá guardar mensagens de manutenção e administração do banco de dados e instância. As mesmas informações que o instance notification log possui o db2diag.log também, a diferença é...

Read More
Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers: