Dando prosseguimento aos nossos posts iremos hoje dar continuidade aos nossos estudos através do Capítulo 4 (Parte 1) do livro PRIMEIROS PASSOS COM O DB2 Express-C. Lembre-se que o livro está dividido em parte 1 e parte 2, por isso fiquem atentos.
Falaremos hoje sobre o ambiente DB2, ou seja, alguns comandos iniciais que podemos utilizar, arquivos de configuração e etc.

OBS: alguns assuntos dentro do capítulo 4 como tablespaces, bufferpols e etc, já foram detalhados no post sobre o capítulo 6 (Arquitetura de um ambiente DB2), por este motivo iremos falar apenas do que é novo.
Qualquer dúvida sobre o assunto, por favor deixem seus comentários.

AMBIENTE DB2

Um ambiente DB2 possui pelo menos uma instância para servir a pelo menos um banco de dados, ou seja, em um ambiente DB2 podemos ter vários bancos de dados dentro da mesma instância e várias instâncias dentro de um mesmo ambiente DB2.
Um servidor DB2 pode ser configurado em quatro níveis diferentes:

–> Variáveis de ambiente : são definidas no nível de sistema operacional.

–> Arquivo de configuração do gerenciador de banco de dados (dbm cfg) : parâmetros que afetam a instância e todos os bancos de dados nela contidos.

–> Arquivo de configuração do banco de dados (db cfg) : parâmetros que afetam um banco de dados específico.

–> Registro de perfil do DB2 : parâmetros que podem ser específicos à plataforma (Windows, Linux e etc) e definidos globalmente (afetando todas as instâncias) ou no nível de instância (afetando uma instância específica).

A figura abaixo demonstra de forma rápida e direta um ambiente DB2 independente da versão DB2 utilizada.

Outro ponto importante são os comandos utilizados para manipular/configurar variáveis de ambiente, arquivos de configuração de instância (dbm cfg) e arquivos de configuração dos bancos de dados (db cfg).

Exemplo de comandos para manipulação do DBM CFG (instância):

–> db2 get dbm cfg : Retorna as informações do dbm cfg.

–> db2 update dbm cfg using <parameter_name> <value> : Atualiza o valor de um parâmetro do dbm cfg.

Exemplo de comandos para manipulação do DB CFG (banco de dados):

–> db2 get db cfg for <database_name> : Retorna informações sobre o db cfg para um dado banco de dados.

–> db2 update db cfg for <database_name> using <parameter_name> <value> : Atualiza o valor de um parâmetro do db cfg.

Exemplo de comandos para manipulação do Registro de perfil do DB2:

–> db2set -all :  Lista todas as variáveis do registro de perfil do DB2 que estão definidas no momento.

–> db2set –lr : Lista todas as variáveis do registro de perfil do DB2.

–> db2set <parameter>=<value> : Atribui um parâmetro com um dado valor.

Os comandos para administração de um ambiente DB2 também são definidos a nível de instância, banco de dados e sistema operacional, ou seja, quando executados afetarão somente os bancos de dados ou as instâncias, ou até mesmo afetarão ambos.

Exemplo de comandos a nível de instância:

–> db2start : Inicia a instância atual.

–> db2stop : Interrompe a instância atual.

–> db2icrt : Cria uma nova instância.

–> db2idrop : Remove a instância.

–> db2ilist : Lista as instâncias presentes no sistema.

–> db2 get instance : Lista a instância ativa no momento.

Exemplo de comandos a nível de banco de dados:

–> db2 create database <database_name> : Cria um novo banco de dados.

–> db2 drop database <database_name> : Remove um novo banco de dados.

–> db2 connect to <database_name> : Conecta-se a um banco de dados.

–> db2 create table/create view/create index : Instruções SQL para criar tabelas, visualizações e índices, respectivamente.

–> db2 list db directory : Lista todos os bancos de dados da instância atual.

Exemplo de utilização de comandos a nível de sistema operacional:

–> No Windows para tornar qualquer instância do DB2 ativa será necessário utilizar o comando de sistema operacional set db2instance=myinst. Este comando fará com que todos os comandos executados naquele momento reflitam na instância especificada.

–> No Linux, uma instância deve corresponder a um usuário do sistema operacional Linux. Portanto, para alternar entre instâncias basta alternar entre usuários. Este usuário é conhecido como proprietário da instância. Você pode sair e fazer login como usuário da outra instância, ou usar o comando SU.

Dado as informações acima terminamos nosso capítulo 4 do livro PRIMEIROS PASSOS COM O DB2 Express-C.
Existem alguns exercícios de fixação no livro, seria importante fazê-los, pois tratam da execução de comandos comentados no post e fixação do conteúdo apresentado.

Até o próximo post e qualquer dúvida estou à disposição. Abraços.