O MySQL funciona utilizando uma arquitetura cliente/servidor. O servidor é o processo central que gerencia o banco de dados. Os processos cliente conectam-se ao banco de dados para consultar ou modificar dados. O MySQL também inclui utilitários não-clientes e scripts. Sendo assim uma instalação completa do MySQL é composta de três partes:

  • MySQL server – Esse é o processo mysqld que gere as bases de dados e tabelas. Existem duas distribuições: as pré-compiladas (servidor pronto para ser executado com os recursos de que necessitam) ou a opção para se compilar manualmente.
  • Client programs – São os programas que se comunicam com o servidor, enviando solicitações a ele através de uma conexão de rede. Por exemplo você pode usar o programa cliente para enviar uma solicitação ao servidor, e o servidor retorna os resultados da consulta.

Os programas cliente são programas do tipo character que exibem a saída no terminal. MySQL AB também produz clientes que exibem uma interface gráfica. MySQL Query Browser é um cliente para interagir com o servidor e executar análise de dados. MySQL Administrator para a gestão do próprio servidor.

  • Non-client utility programs – Programas que geralmente são utilizados para propósitos especiais e não e não atuam como clientes do servidor, ou seja, não se conectarão ao servidor. Por exemplo, mysqld_safe é um script para iniciar e monitorar o servidor. myisamchk é um utilitário independente para a verificação de tabelas e reparação. Acessa e modifica arquivos da tabela diretamente.

Em adição aos programas acima descritos ainda são disponibilizados vários drivers de conexão, como por exemplo /ODBC, /J, /NET.

O MySQL tem várias características importantes que permitem que ele seja usado em vários ambientes:

  • Suporta múltiplos sistemas operacionais (Windows, Unix, Linux)
  • Funciona em ambientes distribuídos. Um programa cliente pode se conectar localmente a um processo servidor rodando no mesmo computador ou remotamente a um processo servidor rodando em um computador diferente.
  • O MySQL fornece interoperabilidade entre plataformas e pode ser usado em redes heterogêneas. Os computadores cliente não precisa executar o mesmo sistema operacional que o computador servidor. Por exemplo, um cliente em execução no Windows pode usar um servidor rodando em Linux, ou vice-versa.

Bueno pessoal, esse foi o primeiro artigo sobre o MySQL para os meus estudos, vamos ver no que dá essa brincadeira. Provas marcadas, agora é correr atrás! 🙂